O dia em que resolvi desafiar o meu próprio medo

29 Jul

Sempre fui muito aventureira.
Gosto desde pequena de sentir aquele friozinho na barriga que as montanhas russas ou os trens fantasmas nos trazem...Me lembro de uma vez que "A Tumba de Tutankamon" visitara um shopping aqui de Goiânia e alguns primos resolveram se aventurar e conhecer. Era meio que um trem fantasma a pé....você passava por um túnel escuro, repleto de salas diversas e escuras que se acendiam de uma vez sempre com uma múmia assustadora lá...

Foi horrível! Hahaha...mas saí de lá firme! De pé... tremendo dos pés a cabeça, mas afirmando a todos que não havia sentido nenhum medinho!

E assim eu cresci! Com medo, mas sempre aceitando aos desafios que surgiam!
Planejava desde muito jovem, um dia saltar de paraquedas, asa delta ou voar de balão.
Já fui nas montanhas russas mais malucas do mundo, mas os planos acima eu sempre adiava!
Um belo dia, combinei com uma amiga dona de uma escola de paraquedismo, o meu primeiro vôo. Tudo certo e eu já começando a me preparar psicologicamente para enfrentar o grande desafio. "Dei a bobeira" de comentar com minha mãe minha aventura. Mãe é mãe independente da idade! Me fez prometer quase em juramento, que JAMAIS eu faria uma coisa dessas e me alertou de perigos que nem faziam parte desse tipo de salto, mas como boa e zelosa mãe, maximizou o quanto pode.
- Ok mamãe, eu prometo! - E lá se foi esse objetivo!

Este ano de 2014, realizei um dos grandes sonhos da minha vida: corri a meia maratona do Rio de Janeiro. Vinte e um eletrizantes e emocionantes quilômetros que conto em um outro post. E, como estava no Rio, num super e deslumbrante visual pensei: - Por que não voar de asa delta? Minha mãe me fez prometer não saltar de paraquedas, mas nem mencionamos asa delta.

Hahahaha....e lá fomos nós para a Pedra Bonita encontrar o famoso Rui Marra.
Esse cara é simplesmente O MELHOR com asa delta e parapente do Brasil. Combinamos tudo previamente e no dia e horário marcado, lá estávamos.

Nos encontramos ao pé da montanha. Ele se apresentou: - Muito prazer, Rui!

E lá fomos nós passando de carro por entre a floresta da Tijuca rumo a Pedra Bonita.
Ao descermos e com um sorrisinho amarelo nos lábios, aquele medinho que carrego desde a infância me acompanhou em pensamentos como: "Puxa! Será que minha mãe não teria razão?! Pra que correr um risco como esse? Blá blá blá..."
Enquanto isso Rui cumprimentava outros instrutores: - E aí Jorge, como está o tempo hoje? Eis que Jorge respondia: - Cara, está perfeito! Hoje seria o dia ideal para a minha avó voar comigo!

Isso ajudava a baixar minha ansiedade que a essa altura, alcançava o Cristo Redentor.

Um breve ensaio antes do salto: - Juliana, vamos começar com a corrida! Quero que você corra na máxima velocidade que conseguir, inclusive quando o chão lhe faltar.... Vamos chamar isso de Corrida Rumo Aos Sonhos ou de Corrida para 2015! Vai, vai, vai.... - Dizia Rui no alto de uma adrenalina incontrolável.

- Agora, vamos treinar a posição da sua mão. Imagine que atrás do meu pescoço tenha um bolinho de chocolate. Sua função é proteger esse bolinho enquanto corremos rumo aos seus sonhos ali na rampa. Atenção! Proteja mas não o amasse.

- E por fim, vamos pensar no pouso! Suba aqui ("aqui" era um murinho de proteção das plantas)! Isso! Agora pense que você está chegando em uma festa e cumprimentando as pessoas. Chegue dizendo OLAAAAÁ! Isso mesmo! Muito bom! Você está preparada! Vamos para a asa!

JESUS!!! Não tinha mais jeito...era agora!
Na asa, ele organizou todos os cabos, proteção que prende as pernas e tudo mais. Fomos então para o início da rampa onde fazem uma espécie de check list antes do vôo.
Enquanto eu ouvia o fiscal capacitado verificar se todos os equipamentos estavam devidamente conectados, já dava pra ver a altura em que eu me encontrava e aquela maravilhosa vista.

Já na posição do salto ele dizia: - Os calçados estão presos? Pernas travadas? Ventral travada? - Rui ia respondendo tudo!!! - Conexões entre piloto e velame travados? Capacetes travados? Alça do reserva travado? Peso Liberado?

Após ouvir um monte de respostas SIIIIIIIM, o fiscal retira o obstáculo (cone) da rampa, liberando a mesma para que Rui efetuasse nossa decolagem.

- Pronta?! - Eu: Bora!
- Então olha pra frente, enxergue todos os seus sonhos e corra pra eles!!! Coooooooorreeeeeeeeeee....

Uaaaaaaaaaaaaauuuuuu!!! Que vistaaaaaa....que frio na barriga mas que vistaaaaaa!!!
Durante 12 minutos, pude admirar toda a floresta da Tijuca e a praia de São Conrado e por incrível que pareça, refletir sobre a vida e todas as coisas que a compõe.
Rui fazia uma espécie de exercício respiratório que me deixava ainda mais relaxada, confiante e segura. Com isso, nem me lembrava que senti medo!
Logo, começamos a sobrevoar o mar e percebi que estava acabando.... consegui correr rumo aos meus sonhos e também proteger o bolinho! Era hora de me preparar para a chegada na festa saudando as pessoas com o OLAAAAAÁ!!! Essa parte foi trágica! Esqueci todo o protocolo e me esborrachei na areia ficando como um verdadeiro bife a milanesa...mas sorridente e feliz por ter vencido o meu medo e ultrapassado mais uma vez os meus limites.
Quase como o Baby da Família Dinossauro, ao me desprender da asa, eu repetia incansavelmente que faria de novo e de novo e de novo.
Voar de asa delta foi uma das minhas melhores experiências, não só no sentido de enfrentamento, mas na leveza e reflexão sobre a vida!
Ah! Só avisei a minha mãe dessa vez quando estava em solo firme, segura e tranquila! Ela quase me matou, mas também viu que não era todo o perigo que ela imaginava.
Enfrente os seus medos!

Supere seus limites e veja como vale a pena a vida quando transpomos essa muralhas que por vezes são monstruosas!!!
Seja FORTE!!!

Juliana Rassi

Formada em Administração de Empresas pelo UNISEB e especialista em Desenvolvimento Humano de Gestores pela FGV, Juliana é coach certificada e membro do ICF, honrando, atuando e partilhando do código de ética regido por esta que é uma das mais respeitadas instituições regulamentadoras de Coaching no mundo, desde 2012 com certificações em personal, professional e executive coaching

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Av. D, esquina com Rua 9, nº 419, Ed. Comercial Marista, 4º Andar, Setor Marista, Goiânia - GO
Uncopyright - Todo o conteúdo deste site está no domínio público. Abro mão de quaisquer direitos de uso sobre meu trabalho. Se você quiser usar meu conteúdo, não se preocupe em me escrever pedindo permissão. Aqui está ela: use como quiser, mande para os amigos, imprima e cole por aí, copie no seu blog ou site à vontade. Se puder colocar os créditos e link para o meu site, fico agradecida. Mas não exijo isso. Meu objetivo é transmitir estas mensagens para o maior número de leitores possível, então, estou desapegando – dentre tantas outras coisas – dos meus direitos.