TED - Porque boas ideias devem ser disseminadas

26 Mar

 

(APLAUSOS) Sobe ao palco Sam Cyrous, curador do TEDx Goiânia para dar início à primeira palestra do dia.
Ali na terceira fila atrás dos palestrantes estava eu, sentada e sedenta por ouvir aquelas ideias. E antes mesmo delas começarem, refletia sobre o slogan e a proposta do TED: IDEAS WORTH SPREADING (Ideias que merecem ser divulgadas).
Pensava como antigamente era difícil termos acesso a boas ideias. Na era medieval, por exemplo, só pessoas que liam, fossem ricas, formadas e HOMENS...ou seja, eu mesma já estaria fora. Hoje com a chegada da internet, ficou muito fácil compartilharmos nossas boas ideias.
Estou fazendo isso nesse exato momento, enquanto escrevo para vocês, disseminando a ideia do TED, uma organização não governamental e notável por compatilhar ideias maravilhosas.
No site www.ted.com você encontrará centenas de palestras com famosos ou anônimos falando sobre vários assuntos para você e eu nos inspirarmos. Tudo isso 100% free. Não perca tempo e aproveite mais essa vantagem do mundo moderno e globalizado.

Então, eu ali, na segunda cadeira da terceira fileira do tradicional Cine Ouro de Goiânia, pude ouvir 10 palestrantes contarem suas ideias que fizeram a diferença em nossa comunidade local (TEDx, o "x" em questão, indica um evento TED regional onde são abordadas exatamente questões que nos importam e trazem impacto aqui em nosso estado). Cada um dos que subiram naquele palco, deixou-nos hipnotizados com a forma de conduzir em apenas 15 ou 20 minutos ideias simples, porém revolucionarias.

Sou dessas que anota tudo o que acha mais importante para depois não se esquecer. Nesse TEDx, foram tantos insights que enchi quatro folhas de ambos os lados, mas uma frase entre tantas (confesso minha dificuldade em escolher apenas uma...) me marcou. Quando o psicólogo clínico Francisco Carlos Gomes subiu ao palco, já me chamou a atenção sua impostação de voz digna de um narrador. E entre tantas outras coisas interessantes, ele disse: "A morte pode nos salvar! É a finitude que nos faz realizar e criar ações com sentido."

Achei isso fantástico pois como a maioria, nunca gostei de pensar na morte e todo o sentimento de perda e separação que ela me trás. Todavia, pude olhar por um instante para a morte como o FIM RACIONAL e entender. De fato, é isso que nos faz agir e ter atitudes que nos movimente em busca de nossos sonhos e objetivos.

Usando essa mesma linha de racioncínio, deixo a vocês um desafio: Se você soubesse que teria somente mais 1 ano de vida, que 15/12 seria a data de sua morte, O QUE VOCÊ FARIA durante este tempo que lhe resta?
Quais são os sonhos que vem procrastinando a tempos, mas que gostaria de realizá-los antes de sua partida? Quais sentimentos você vem guardando e que gostaria de declarar antes deste dia 15/12/2015?
Pense...reflita...coloque num papel...crie estratégias e AÇÃO!!!!

Somos seres finitos e, bem diferente do meu desafio, não sabemos a data que partiremos. Sugiro que, se você verdadeiramente quiser resultados diferentes, saia já dessa inércia e tenha atitudes diferentes também.

Seja EXTRAordinário!!!

Que esta música lhe inspire e lhe mova! Seja GRANDE....não tenha MEDO!

Juliana Rassi

Formada em Administração de Empresas pelo UNISEB e especialista em Desenvolvimento Humano de Gestores pela FGV, Juliana é coach certificada e membro do ICF, honrando, atuando e partilhando do código de ética regido por esta que é uma das mais respeitadas instituições regulamentadoras de Coaching no mundo, desde 2012 com certificações em personal, professional e executive coaching

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Av. D, esquina com Rua 9, nº 419, Ed. Comercial Marista, 4º Andar, Setor Marista, Goiânia - GO
Uncopyright - Todo o conteúdo deste site está no domínio público. Abro mão de quaisquer direitos de uso sobre meu trabalho. Se você quiser usar meu conteúdo, não se preocupe em me escrever pedindo permissão. Aqui está ela: use como quiser, mande para os amigos, imprima e cole por aí, copie no seu blog ou site à vontade. Se puder colocar os créditos e link para o meu site, fico agradecida. Mas não exijo isso. Meu objetivo é transmitir estas mensagens para o maior número de leitores possível, então, estou desapegando – dentre tantas outras coisas – dos meus direitos.